08 fev 2017

RH Denorex – o RH que parece mas não é (parte 5)

Das atribuições básicas do RH de verdade, que mencionamos no primeiro artigo dessa série, RH Denorex – o RH que parece mas não é, hoje vamos falar sobre o penúltimo deles, o desenvolvimento. Antes de continuar, se você ainda não leu os artigos anteriores, deixa este em espera, e corre lá conferir, assim ficamos na mesma página.

A prerrogativa do desenvolvimento

Desenvolvimento pessoal e profissional é prerrogativa de cada um. Entendemos que as pessoas são as primeiras responsáveis pelo seu próprio desenvolvimento, evolução, estabelecimento de metas e alcance delas. Isso é protagonismo e antes de qualquer coisa, o gerente de RH precisa estar presente para sua responsabilidade em levar cada profissional da sua equipe a entender e se apropriar dessa premissa.

A organização, por sua vez, deve ser uma facilitadora do processo de desenvolvimento pessoal e profissional de seu quadro. Isso é também, atribuição básica do RH.

Ligando os pontos

O RH de verdade que desenvolve as atribuições anteriormente destacadas, as utiliza inclusive como parâmetro para a fase de desenvolvimento. Verificando o alinhamento entre a descrição do cargo e o perfil do profissional que será contratado, ou que já está desenvolvendo a função, o gerente de RH tem elementos suficientes para entender os gaps. Gaps são as lacunas entre o desejável e o que efetivamente se tem.

Identificando os gaps, o RH pode sugerir pontos de desenvolvimento para o profissional se tornar mais aderente à função e quiçá pleitear promoções ou movimentações horizontais dentro da organização em outras áreas de ação.

O comportamento importa

O RH precisa estar também presente para as necessidades de desenvolvimento comportamental dos profissionais. Pesquisas demonstram que comportamento está em segundo lugar nos motivos de demissão. O primeiro é desempenho. Ou seja: tanto desenvolvimento técnico como comportamental são cruciais para o ambiente profissional.

Um gestor de RH bem preparado sabe da importância do desenvolvimento das pessoas para a organização. Pessoas bem preparadas, talentosa, que se relacionam bem entre si, com fornecedores, clientes, liderança são o diferencial no crescimento e excelência da organização. Pessoas em desenvolvimento contínuo levam a empresa para a inovação, para a conquista de mercado e satisfação do cliente.

Desenvolvimento é mais do que se pensa

Um gerente de RH diferenciado entende que desenvolver as pessoas vai além de colocá-las numa sala de treinamento 4 horas por semana. Ele entende que cada pessoa tem necessidades de evolução diferentes e por isso precisam de atenção individual no desenvolvimento.

Se sua empresa tem um RH que cuida bem do desenvolvimento de seus talentos, sua empresa tem um RH de verdade. Se não tem, é preciso desenvolver o RH.

Semana que vem vamos falar sobre mapeamento, a quinta atribuição básica do RH de verdade.

Cláudia Krüger é Sócia na Emovere You

leave a comment

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.